A importância do ensino internacional sob a ótica de uma diretora pedagógica


Muito se fala sobre a importância do ensino internacional como um meio de ampliar os horizontes dos alunos para as demandas do mundo contemporâneo e globalizado. Assim, a AmericanEdu propõe discussões com especialistas e reflexões que possam contribuir para que os alunos se beneficiem de um ensino moderno e alinhado com as propostas acadêmicas mundial.


Para abordar o tema, convidamos a diretora pedagógica do Colégio Magister, em São Paulo, Katia S. Martinho Rabelo, para uma conversa sobre o tema e os desdobramentos vivenciados pela escola desde a implantação do ensino bilíngue e programa internacional em paralelo ao currículo regular brasileiro.

Qual a importância do ensino internacional no processo de inovação da escola?

Kátia - Nós, do Colégio Magister, sempre procuramos participar de debates constantes em busca de alternativas que representassem, na prática, um ensino mais adequado aos nossos alunos, da Educação Infantil ao Ensino Médio. Esta é uma preocupação recorrente: qual é a formação ideal para que nossos jovens conquistem as competências necessárias para o século XXI?

Como avalia o ensino internacional nesse contexto de inovação?

Kátia - Historicamente, o ensino brasileiro segue um modelo de protecionismo que estimula um aluno pouco atuante, passivo, refém de um ensino de mão única. Sendo assim, eu não vejo outro caminho para buscar competitividade com qualidade se a educação não passar por um processo criativo e se reinventar. Como está, sem mudanças, ela não responde mais aos desafios e anseios contemporâneos.

Contrariando esse cenário, percebemos, já a partir da Educação Infantil, a possibilidade de ampliar a vivência desse jovem, ampliando seus horizontes por meio da inclusão de um ensino bilíngue e internacional.

Como isso funciona na prática?

Kátia - A perspectiva internacional é valorizada desde o primeiro ano do Ensino Fundamental, no Elementary, a partir da inserção de matérias oficiais do currículo americano dentro de ensino regular brasileiro. A criança desde o início participa de um ambiente verdadeiramente global, seguindo as etapas do desenvolvimento, letramento e produção linguística.

Aos 9, 10 anos, ela já apresenta muito mais significado em suas produções e, assim, passo a passo, passando pelo Middle School até chegar ao High School, o aluno vivencia um processo no qual o repertório vem sendo gestado, ano a ano, até a conclusão do Ensino Médio e a conquista de um diploma com dupla titulação, nacional e internacional.

Muitos desafios…

Kátia - Os desafios são grandes, a começar pela compreensão sobre a vivência do currículo internacional por meio de uma plataforma que coloca os alunos, no Brasil, em contato com o sistema de ensino americano, numa situação real como se estivesse em uma sala de aula nos Estados Unidos. Para isso, contamos com uma equipe de profissionais, brasileiros e nativos, treinados e capacitados para orientar os alunos no uso da plataforma e na vivência internacional. A tecnologia, que acompanha todo esse processo, representa um passo a mais na inovação do ensino e preparação dos alunos, possibilitando-lhes inúmeras possibilidades de aprendizado.

Como a escola avalia os resultados obtidos até então?

Kátia - O papel dos educadores dentro dessa proposta de ensino é atuar como facilitadores da aprendizagem. Nossos alunos são estimulados a vivenciar, hoje, demandas que lhes serão solicitadas em seu futuro acadêmico e profissional. E esse é um passo importante que conseguimos adotar a partir da integração do ensino internacional em nossa proposta pedagógica.

A resposta dos pais tem sido muito positiva. Desde a implantação do programa de internacionalização, há cerca de dois anos – antes já vínhamos com o ensino bilíngue -, tivemos um acréscimo de adesão de alunos novos, vindos de outras escolas, muito acima do esperado. Esta resposta confirmou a credibilidade do Colégio Magister no cenário educacional paulista, um lastro muito importante para que pudéssemos inovar e apresentar uma nova e ampla proposta de formação aos seus filhos.

Qual o futuro do ensino internacional no Colégio Magister?

Kátia - Uma escola que se entende internacional tem que a ajudar a ampliar os conhecimentos sobre outras possiblidades, abrindo leques de opções para seus alunos, como opções de intercâmbio, contatos com universidades estrangeiras e a vivência além dos limites da escola.

Desde 2004 temos olhado com muita atenção para tudo o que o mercado oferecia de positivo para inovar em nossa proposta de ensino. Hoje estamos em outro patamar e seguimos um caminho inevitável em busca de possibilidades sempre inovadoras e que acrescentem repertório aos nossos alunos, preparando-os para serem cidadãos do mundo.

Como escola associada da UNESCO, nosso trabalho é orientado para conferir mais significado, concretude e entendimento ao jovem, que, com uma boa bagagem cultural, poderá transitar pelo mundo globalizado.

Concluímos dizendo que o Ensino Internacional traz ferramentas que instrumentalizam o jovem para qualquer caminho que optar, sem perder de vista as raízes do ensino e da cultura nacionais. Somos uma escola brasileira que traz uma perspectiva internacional para seus alunos. Os resultados falam por si e confirmam o acerto de nossa proposta.

#ensinointernacional #conhecimento #currículoamericano #internacionalizaçãodecurrículo

47 visualizações

Support / Membership

pea21.jpg

GALERIA